segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Captação de Recursos

Agradecimentos em um ano de muitas possibilidades

É com grande satisfação que venho mais vez agradecer a todos que seguem o blog, principalmente os seguidores que se dedicam a criticá-lo com elogios e informações que valorizam ainda mais nosso trabalho, por meio do aprimoramento do exercício humano e profissional.
Com esse espírito e princípio de reciprocidade, venho mais uma vez manifestar minha modesta colaboração com mais um pequeno texto, porém de grande valor sentimental, reflexo contra-partidária dos projetos frios e sem dedicação que deparamos no exercício diário das nossas funções, diz assim:

Projetos com Sentimento, com Coração

Como dito, ultimamente temos presenciado a falta de emoção nos projetos que elaboramos e/ou defendemos. Para ilustrar um paralelo entre a frieza pautada nos resultados e a utilização de sentimento em nosso trabalho, sugiro que assistam ao filme "Antes que termine o dia", brilhantemente encenado pelo o ator Paul Nicholls (Ian) e a atriz Jennifer Love Hewitt (Samantha).
Trata-se de um longa que conta uma linda história de amor, quando assisti confesso que me deparei com lágrimas vocacionadas pelo enredo de dedicação, cumplicidade e entrega. O filme se desenrola com o jovem executivo correndo contra o tempo, bem sucedido e trabalhador, tentando desfazer o futuro evidenciado por um pesadelo, que alguns estudiosos chamam de "Dejavú" (leitura do futuro por meio de sonhos). O filme é uma lição de vida para todos, sobretudo para nós do ambiente coorporativo, que habitualmente nos mostramos frios, sem calor humano, sem dedicação e sobretudo sem paixão, principalmente com as pessoas que fazem parte da equipe de trabalho. De forma notável, nas entrelinhas, o enredo do filme mostra o quanto podemos modificar nosso destino até certo ponto. Para ilustrar gostaria de apresentar parte do roteiro, dito pelo brilhante protagonista, como segue:
"Eu te amo desde que te conheci...Mas não permiti sentir isso até hoje...estava sempre um passo a frente...tomando decisões pra me livrar do medo...mas, hoje...pelo que aprendi com você...cada escolha foi diferente e minha vida...mudou completamente. Eu aprendi...que quando se faz isso, vive-se inteiramente...não importa se vc tem cinco minutos, ou cinquenta anos...Samantha, se não fosse por hoje...ou por você...eu nunca conheceria o amor...então, obrigado por ser a pessoa, que me ensinou a amar...e ser amado"
Com essas palavras provoco uma reflexão de todos os leitores e colaboradores na linha da cumplicidade no ambiente coorporativo, profissionais que se entregam diariamente pelo trabalho a ser executado e não pelo emprego e a consecutiva remuneração. Diante das colocações, manifesto de forma acertiva que o ambiente coorporativo é parte integrante do sentimento humano, fazendo-se necessário o exercício diário de todas as expressões de sentimento, amando sempre o trabalho e as pessoas que nele se encontram.

2 comentários:

Valquíria Kirley disse...

Que sabedoria ao mencionar!
O ser humano está se distanciando das coisas que fazem parte a vida. A ganância de valores materias, estão ultrapassando os princípios da dignidade. O trabalho tem se tornado busca de remuneração e posição social, esquecendo que o digno é excer a função, sendo ela qual for, que é preciso acoplar de equipe formadas por pessoas, que em comum, almejam respeito; e o trabalho para ter seu mérito, tem de haver dedicação, conciliar pessoas e trabalho como forma de vida e sucesso. Para isto é necessário sentimento, não ir apenas ao limite, mas ultrapassá-lo, sentir na pele o merecimento do sorriso da conquista, e para isto é preciso AMOR, para execer seja o que for.

Aline Leonardo disse...

Ai Rogério, seria tão bom se muitos, mas muitos mesmo, pensassem como vc. Ótimo texto!
Abraços,